Ansiedade. 

Nada em específico aconteceu. Mas hoje, por alguma razão, acordo ansiosa. Acordo com uma sensação estranha no corpo e o sentimento de que, a qualquer momento, vou desmaiar.

Decido ignorar o mau pressentimento que tenho acerca do assunto devido às experiências passadas que já tive com isto, e arranjo-me para sair de casa e fazer a minha vida. Como uma pessoa normal faria.

No estágio, na escola, onde quer que seja, não me consigo concentrar. Nesse dia, algo não está bem e eu sinto-o. Sinto que não estou a ser útil e que não estou a fazer nada de jeito. Porque é a verdade, não estou.
Tento ignorar estes pensamentos porque sei aquilo que eles podem causar mas quando dou por mim, a minha mente começa a divagar e algo mais estranho começa a acontecer dentro de mim.
As pontadas no coração, o sentimento de que vou desmaiar, morrer ou que algo de terrível me vai acontecer, os suores que percorrem o interior do meu corpo, os calafrios e arrepios, os tremores, a dificuldade em respirar…
Tudo isto se apodera de mim e eu não tenho qualquer controlo sobre isso.
No início não se manifestam todos os sintomas e, muito menos, se manifestam com grande intensidade, portanto eu limito-me a tentar concentrar-me e a ignorar os sinais desta minha fraqueza. Mas depois de muito tempo a lidar internamente comigo própria, alguém me pergunta se estou bem. Eu digo que sim. Não consigo, não posso, não quero e não aceito que me vejam assim.
Apesar do turbilhão de sentimentos e sintomas que ocorrem dentro de mim eu escondo estas manifestações ao máximo e é só quando tudo se desenvolve numa crise mais grave que as pessoas conseguem notar o meu estado deplorável.
Por vezes são só alguns dos sintomas, não chegando a crise a manifestar-se de maneira muito grave mas afetando, de qualquer das maneiras o meu dia a dia e não me permitindo fazer nada com produtividade (foi o caso de hoje).
Na grande parte das vezes, as pessoas não conseguem ver o quanto aquilo me esta a afetar porque eu escolho não o demonstrar, afinal de contas, para me acalmar preciso de sentir que estou em controle de alguma coisa…
Por vezes tenho sorte e as pessoas que me rodeiam são compreensíveis e fazem o que podem para ajudar, mas já me aconteceu estar rodeada de pessoas que não compreendem e que julgam.
“Está a ter mais um daqueles ataques” dizem eles com todo o desprezo. “Gosta de chamar a atenção”, comentam.
Como se eu gostasse de me sentir assim. Como se eu gostasse das crises de choro, dos tremores, da sensação de que algo de terrível vai acontecer…
Não os julgo. Não estão informados e isso é devido a esta sociedade opressora que nos faz acreditar que as doenças mentais, os problemas de ansiedade e outros problemas que não sejam físicos, são “maluquices” e que simplesmente não existem.
ERRADO! Muito errado! E cabe-nos a nós, que estamos informados, que vivemos diariamente com isso ou que estamos perto de pessoas que o vivem, informar e educar os outros acerca deste assunto. Cabe-nos a nós abordar estes temas apesar de serem pessoais e apesar de,por vezes, nos sentirmos anormais ou aberrações quando isto acontece.
Hoje acordei assim mas nem sempre se manifesta desta forma. Hoje foi um dia mau mas tenho a noção que nem todos os dias o são.
Hoje foi assim. Amanhã será melhor,espero eu.

(Este post foi mais pessoal e pensei seriamente antes de o publicar mas depois de uma situação, nada de grave comparada com outras crises mas muito desconfortável de qualquer das maneiras, que aconteceu hoje, decidi que era a altura de, finalmente, falar sobre isto. Acho que é bom reforçar que a ansiedade não se manifesta da mesma forma todos os dias e em todas as situações e, muito menos, em todas as pessoas.)

12 thoughts on “Ansiedade. 

  1. Não és a única a sentir, também eu sinto às vezes. Apesar de ser um texto pessoal, está muito bem escrito! Recomendo-te fazer mais textos destes e falares com um profissional da psicologia.
    Beijinhos

    Liked by 1 person

    1. Muito obrigada pelas palavras! Irei fazer mais textos destes, com certeza. Andei na psicóloga da escola mas entretanto estou à espera que a minha consulta seja marcada no hospital para me fazer diagnostico e essas coisas todas.

      Like

  2. Ainda ontem estive a falar sobre isto. “Essas doenças são apenas psicológicas, tens porque achas que tens”, foi o que já me disseram. As pessoas que não passam por isso não têm noção do que é. Não tenho ansiedade desde pequena, mas comecei a ter ataques de ansiedade há pouco tempo e percebo perfeitamente o que dizes.
    Escreves muito bem 🙂
    Beijinhos

    Liked by 1 person

    1. Infelizmente existe muita ignorância acerca deste assunto mas acredito que ao falarmos sobre isto damos um passo para informar nem que seja uma pessoa.
      Muito obrigada pelas palavras, querida! Beijinhos

      Liked by 1 person

  3. A falta de ar, o aperto no peito e a sensação repentina de desmaio.. :/ infelizmente nem todos levam a ansiedade como algo sério :/. Gostei muito do teu texto e reflecti-me nas tuas palavras 🙂 beijinhos!

    Liked by 1 person

  4. Olá minha querida!
    Primeiro que nada quero te dar os parabéns por teres coragem de expor aqui neste post algo com um carácter tão pessoal. Felizmente nunca sofri de ansiedade nem consigo dar o devido valor a quem passa por isso pois acredito ser uma sensação aflitiva. Infelizmente a nossa sociedade tem ainda uma cabeça muito ”pequenina” ao lidar com este tipo de problemas, preferindo deste modo rotular quem sofre de depressão, ansiedade, pânico, ect de ”malucas” e de ”frescas”. Não conseguem entender quem tem este tipo de problemas precisa do seu tempo para se recompor, não é com meia duzia de palavras bruscas que a pessoa vai ficar bem.
    Mais uma vez parabéns

    Liked by 1 person

    1. Muito obrigada pelas palavras. Não é fácil mas não nos podemos manter calados. Ja bastaram os anos em que não disse nada a ninguém. Assim ajudo-me a mim e ajudo aos outros (espero eu). Beijinhos

      Like

  5. Fizeste bem em publicar este post. Já tive ataques de ansiedade (poucos felizmente) mas que era super assustador! Nem quero imaginar quem tem varias vezes! De facto há pessoas que pensam que as outras só querem atenção porque não percebem o que realmente é, se soubessem não falariam isso.

    Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s